Motivação 3.0? Entenda

#
O modelo atual de motivação, baseado em gerenciamento, cobra dos funcionários conformidade a padrões: como fazer, quando fazer, o que fazer, com quem fazer. O que as empresas realmente precisam é buscar o engajamento das suas equipes. Hoje, procura-se impulsionar os colaboradores baseado em motivação intrínseca, o chamado Motivação 3.0. Os pilares desse novo sistema são:


– Autonomia:
A necessidade de estar no comando de nossas vidas. O que as pessoas buscam nos dias de hoje é autonomia para controlar os Quatro Ts: Tarefa (O que fazer), Técnica (Como fazer), Tempo (Quando fazer), Time (Com quem fazer). Podem parecer idéias revolucionárias, mas companhias que conseguiram implementar práticas que aumentam a autonomia das equipes já estão colhendo incríveis resultados de produtividade e engajamento. Exemplos disso são políticas que permitem horário flexível ou liberam o funcionário para investir parte do seu tempo em projetos definidos por ele mesmo.

– Propósito:
Trabalhar com vistas a um objetivo maior. Quem já sentiu isso, sabe do que eu estou falando. É aquela sensação de que o que estamos fazendo não é “apenas um emprego”, mas algo muito mais importante. Muitas vezes, isso fica claramente descrito na missão de uma empresa, como a do Google: Organizar toda a informação disponível no mundo. Outras, pelo foco dado a inclusão social e sustentabilidade, cada vez mais importantes na motivação dos funcionários. Propósito é uma das forças que movem iniciativas tão bem sucedidas nos dias de hoje, como o desenvolvimento de projetos Open Source (Linux) ou CrowdSourcing (Wikipedia), fenômeno que a maioria dos economistas falhou em prever.

– Busca pela Perfeição:
 Esse é um dos fatores que tem maior impacto no engajamento e na  produtividade das pessoas, o desejo de se tornar melhor e melhor em algo importante para você.   É fácil encontrar essas características nos grandes técnicos, que buscam sempre aumentar os seus conhecimentos, como atletas visando a perfeição. Há um conceito chamado flow, estado mental no qual atingimos a produtividade máxima, quando a recompensa pela tarefa está na execução da tarefa em si. Empresas podem incentivar isso através da definição de objetivos que sejam atingíveis mas, que ao mesmo tempo, desafiem o profissional a se desenvolver.

Posts relacionados