Marketing e Carnaval: combinação de sucesso

Festa é repleta de marcas, que já estão pondo em prática suas estratégias de marketing para a edição de 2018

Você com certeza já ouviu que “o ano só começa depois do Carnaval”. Não deixa de ser (em parte) uma verdade. É só depois do Carnaval que as coisas começam a entrar nos eixos. Isso se não estivermos falando de grandes empresas e da área de comunicação como um todo.

A edição desse ano acontece, oficialmente, entre os dias 11 e 14 de fevereiro. E, ano a ano, a festa mais famosa do Brasil conquista mais e mais o interesse das marcas. E quem se envolve anualmente com o evento não costuma se arrepender. No Rio de Janeiro, chega a 6 milhões o número de pessoas nos blocos de rua, e a renda para a economia carioca é de cerca de R$ 3,3 bilhões com turismo. Outro dado interessante vem de uma pesquisa realizada pela ESPM Rio a pedido da Riotur: 94,2% dos turistas estrangeiros que vieram para o Carnaval carioca este ano pretendem retornar.

Onde entra o marketing?

Para marcas que querem e precisam de uma maior representatividade o Carnaval de rua, os blocos e as escolas de samba são ideais para divulgação e ativação ao vivo. Para marcas populares que buscam dar uma cara mais premium para seus produtos, os bailes de máscaras e os camarotes caem como uma luva. Ou seja, tem ação para todos os gostos!

Um bom exemplo foi um caso de branding da Nike, que usou o Bloco do Brown, de Salvador, para lançar a camisa oficial da seleção brasileira. Outro exemplo fica por conta do Itaú, que patrocinou grandes e conhecidos blocos de rua cariocas e, com isso, aumentou sua visibilidade de forma expressiva, rivalizando diretamente com um se seus principais concorrentes, o Bradesco. Entrando nessa onda, a Dior patrocinou um espaço de beleza no Camarote N1 e, ao longo de três dias distribuiu tratamentos gratuitos ao público. A ideia era aumentar o fluxo de clientes nas lojas do Rio.

Onde entra o marketing digital?

No ano passado, a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) esperava movimentar mais de 5,8 milhões de reais apenas nas categorias de acomodação, transporte e alimentação. Enquanto isso, no Facebook e no Instagram, as pessoas compartilhavam interesses similares, como as principais cidades que estavam.

Além do check-in, os brasileiros também demonstraram mais interesse em determinados tópicos no Feed, o que acaba servindo de ponto de partida para criação de campanhas. Afinal, combinar a mensagem com a conversa nas plataformas do Facebook e Instagram é a forma mais assertiva de conquistar potenciais clientes e consumidores.

Outro ponto importante para montar uma campanha carnavalesca é entender o comportamento das pessoas durante o verão, já que a folia faz parte da estação, assim como os vídeos bombam no Facebook e Instagram durante os dias mais quentes. Então, apostar em formatos visuais, mensagem certeira e um pouco de brilho poderá trazer mais resultados de sucesso para o seu negócio.

Leave a comment